sexta-feira, 18 de maio de 2018

'Fortnite' vai chegar ao Android nos próximos meses .





Em um post em seu blog oficial, a Epic Games, responsável pelo desenvolvimento de "Fortnite", deu alguns detalhes do que os jogadores podem esperar da versão para Android do jogo, assim como novas funcionalidades que estão a caminho do iOS.

Uma das novidades vai ser uma interface personalizável, permitindo aos jogadores escolherem quais elementos vão ser exibidos ou não na tela do celular. Além disso, o game vai ganhar chat por voz, com uma série de opções para evitar que pessoas usem o recurso para abusar de outros jogadores.
A Epic Games também diz estar trabalhando para fazer com que o arquivo de instalação do game ocupe menos espaço do que atualmente, assim como vai introduzir um modo de economia de bateria.
Lançado em março no iOS, "Fortnite" alcançou o topo das listas da App Store do sistema da Apple e, de acordo com estimativas da empresa Sensor Tower, arrecadou US$ 15 milhões em microtransações nas três primeiras semanas. A expectativa é que os ganhos da Epic Games com o jogo cresçam consideravelmente com o lançamento no Android.

sexta-feira, 9 de março de 2018

Como saber se alguém te bloqueou no Instagram



Como saber se alguém te bloqueou no InstagramO Instagram permite bloquear outros usuários, porém, a pessoa não fica sabendo que foi bloqueado. Veja como saber se alguém te bloqueou:

Reprodução
Reprodução
A segunda opção é procurar pelo nome do usuário no próprio aplicativo. Se a pessoa não aparecer na lista, é porque pode ter feito o bloqueio; mas caso apareça o perfil, tente entrar e se surgirem as mensagens “Esta página não está disponível” ou “Usuário não encontrado”, é porque você foi bloqueado.
Reprodução
Por último, você pode deslogar da sua conta e procurar no Google o nome de usuário da pessoa. O buscador mostrará o link para o perfil da pessoa e você será capaz de acessar a página, a não ser que o perfil seja fechado. 

quarta-feira, 7 de março de 2018

Criança faz iPhone ser bloqueado por 47 anos



Criança faz iPhone ser bloqueado por 47 anos Um recurso de segurança do iPhone causou grandes transtornos a uma mulher chinesa. O aparelho foi bloqueado e só vai ser liberado daqui a 47 anos, supostamente após a criança tentar digitar muitas vezes uma senha errada na tela de segurança.

De acordo com o South Morning China Post, a chinesa deu o iPhone para seu filho bebê assistir a vídeos educacionais. Mas a criança fez o aparelho ficar bloqueado por 25 milhões de minutos por tentar várias e várias vezes acessá-lo com uma senha errada.
Ao levar o aparelho para uma Apple Store, ela foi informada que tinha apenas duas saídas: ou formatar o iPhone e começar tudo do zero, ou então esperar os 47 anos para voltar a usar o aparelho. Obviamente, a segunda opção não é viável.
O técnico da Apple Store disse já ter visto casos de iPhones que pedem até 80 anos de espera para desbloqueio do aparelho, mas o caso da mulher chinesa é diferente por não existir nenhuma outra forma de liberar o aparelho além de apagar todos os dados que estão nele.
Vale notar que, apesar de todas as informações até o momento apontarem para a criança como causa do problema, existem alguns dados conflitantes. Esse tipo de erro é comum em aparelhos com defeito, com um problema de bateria ou em algum componente que faz com que a data do celular seja resetada, provavelmente para 1970. O jailbreak também pode facilitar problemas desse tipo.
Um iPhone saudável bloqueia a digitação de senhas por um minuto após a sexta tentativa; se houver mais uma tentativa falha de autenticação após isso, o aparelho é travado por cinco minutos. Na oitava tentativa, o tempo de espera é aumentado para 15 minutos. A ideia da Apple é que o aparelho seja definitivamente bloqueado após mais algumas tentativas erradas, e não exibir um timer de 25 milhões de minutos.


sábado, 3 de março de 2018

Land Rover lança smartphone com bateria que dura dois dias




Land Rover lança smartphone com bateria que dura dois dias



Nem só de carros vivem as montadoras. A Land Rover anunciou nesta quinta-feira, 22, um novo smartphone, o Land Rover Explore. O aparelho foi desenvolvido em parceria com o Bullitt Group e será apresentado durante a MWC, que acontece semana que vem em Barcelona.
Segundo a empresa, o celular conta com uma bateria de 4000 mAh, sendo capaz de suportar até dois dias de uso regular. O dispositivo ainda conta com tela Full HD de 5 polegadas com Gorilla Glass 5, processador Deca-core 2.6GHz 64 bit MTK Helio X27, dual SIM, 4 GB de RAM, 64 GB de armazenamento interno, câmera traseira de 16 megapixels, frontal de 8 megapixels e sistema operacional Android Nougat, com previsão de atualização para a versão Oreo.
Além disso, o aparelho ainda possui proteção IP68, que é resistente a água e resíduos, suporta imersão de até 1,8 metros de profundidade na água, inclusive salgada, e a tela touch pode ser usada com luvas ou dedos molhados , Os usuários ainda podem adquirir uma bateria extra de 4370 mAh, encaixe universal para bicicletas, antena GPS, case de proteção, entre outros acessórios.O aparelho estará disponível a partir do próximo dia 26 de abril e será comercializado através do site da montadora e representantes no Reino Unido, Alemanha e Bélgica – a marca não informou se ou quando o celular chegará ao Brasil. O modelo custa entre £599 e £649 (R$ 2.724,85 e R$ 2.952,30), dependendo do pacote de opcionais.

fonte : olhar digital

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Correios anunciam reajuste no frete, e comprar online vai ficar mais caro





A mudança foi anunciada nesta terça-feira, 27, e o percentual de 8% se refere especificamente a objetos postados entre capitais brasileiras e nos âmbitos local e estadual. A estatal não deu detalhes sobre qual será o impacto em outros tipos de entrega.
O Mercado Livre, empresa de comércio eletrônico que depende profundamente dos serviços dos Correios, se mostrou bastante insatisfeito com a alteração. Segundo a companhia, o aumento de 8% anunciado conta apenas uma parte da história: o aumento de preço pode chegar a até 51% dependendo das localidades envolvidas na entrega.
“O aumento máximo do frete acontecerá justamente para vendedores que moram ou atendem clientes fora dos grandes centros, podendo chegar a 51%. Quer um exemplo? O valor de frete de um produto enviado de São Paulo para Joinville, que hoje custa cerca de R$ 40,00, passará a ser R$ 57,00”, diz o site da campanha #FreteAbusivoNão, que tem ganhado força nas redes sociais. O Mercado Livre também questiona o peso desse reajuste diante de uma inflação sob controle, visto que o IPCA acumulado de 2017 não chegou a 4%, o que por si só já é bem abaixo dos 8% de reajuste entre grandes centros urbanos.
Os Correios, por sua vez, afirmam que o reajuste é parte de uma revisão anual dos preços, “baseada no aumento de custos relacionados à prestação de serviços, incluindo transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustíveis, contratação de recursos para segurança, entre outros”.
ATUALIZAÇÃO: Os Correios enviaram um comunicado ao Olhar Digital sobre o tema e a campanha do Mercado Livre. Segue o posicionamento da estatal na íntegra:
Sobre a campanha realizada pelo Mercado Livre em suas redes sociais a respeito do ajuste de preços que será aplicado pelos Correios a partir de 6 de março para os clientes de contrato, os Correios esclarecem:
Ao contrário do que foi divulgado, o reajuste não será de “até 51% no frete dos produtos a todos que compram e vendem pela internet”. A média será de apenas 8% para os objetos postados entre capitais e nos âmbitos local e estadual, que representam a grande maioria das postagens realizadas nos Correios.
Cabe ressaltar que o reajuste não é para os preços de e-commerce, mas para os serviços de encomendas dos Correios, também utilizados pelo e-commerce. Trata-se de uma revisão anual, a exemplo do previsto em contrato. A definição dos preços é sempre baseada no aumento dos custos relacionados à prestação dos serviços, que considera gastos com transporte, pagamento de pessoal, aluguéis de imóveis, combustível, contratação de recursos para segurança, entre outros.
Comparar o preço de frete praticado no Brasil com os países vizinhos, como faz a nota, é tendencioso e pode levar o consumidor a acreditar em uma falsa premissa. O maior dos países citados - a Argentina - tem cerca de um terço da extensão territorial do Brasil e 40% de toda a sua população concentrada na região metropolitana de Buenos Aires. A maior cidade brasileira, por sua vez, tem 10% da população do país. Outro exemplo citado na nota, a Colômbia, é cerca de seis vezes menor que o Brasil. Os desafios de transporte em um país com dimensões continentais são muito maiores e os custos para manter a presença dos Correios em todo o território nacional são altíssimos. 
Os contundentes problemas relacionados à segurança pública em diversas localidades do país também são pontos que merecem ser destacados. Conforme amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, no Rio de Janeiro a situação de violência chegou a níveis extremos e o custo para entrega de mercadorias nessa localidade sofreu altíssimo impacto, dadas as medidas necessárias para manutenção da integridade dos empregados, das encomendas e até das unidades dos Correios. Por esse motivo, foi estabelecida uma cobrança emergencial de R$ 3,00 para os envios destinados à cidade do Rio de Janeiro, cobrança essa que poderá ser suspensa a qualquer momento, desde que a situação de violência seja controlada. Vale esclarecer que essa cobrança já é praticada por outras transportadoras brasileiras desde março de 2017.
Os Correios ressaltam que a parceria com o e-commerce brasileiro é de extrema importância para a empresa. Parceria que, inclusive, viabiliza a atividade de inúmeras micro, pequenas e médias empresas que vendem pela internet devido à oferta de pacotes de benefícios dos Correios exclusivos para os marketplaces brasileiros, incluindo reduções de preço que chegam a mais de 30% no SEDEX e 13% no PAC quando comparado aos preços à vista.
Também em função dessa parceria, a empresa mantém uma Política Comercial com uma estratégia de precificação que segue a lógica do mercado e, mesmo com os aumentos de custos, buscou o menor impacto possível nas praças mais relevantes para o e-commerce brasileiro.  

Por fim, essa revisão mantém os Correios competitivos em seus preços praticados no Brasil inteiro, garantindo sua presença em todo o território nacional.

fonte : olhar digital


segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Xilften: Netflix pirata oferece conteúdos gratuitos.




O Xilften (Netflix ao contrário) está atraindo os usuários que gostam de assistir séries e filmes sem pagar mensalidades. A plataforma é tratada por vários youtubers como o substituto direto da Netflix.

O catálogo da Xilften é o mesmo da Netflix, mas com algumas diferenças. Filmes recém-lançados ficam de imediato disponíveis na plataforma gratuita, distinto do streaming pago, que o usuário aguarda alguns meses.
O site foi registrado por um brasileiro em São Paulo, e importa os conteúdos de outras plataformas do mesmo seguimento, como “Filmes Online”, “Filmes e Séries Online”, entre outros. Assim como esses sites, a plataforma Xilften tem indícios de ilegalidade.
De acordo com a equipe de Tecnologia do O POVO Online, o conteúdo exibido no site é fechado e a qualquer momento poderá ser retirado do ar por conta dos direitos reservados de cada produção.

domingo, 25 de fevereiro de 2018

7 recursos de segurança para usar o Facebook com tranquilidade




Esta terça-feira (6) marcou o Dia da Internet Segura, e uma série de ações aconteceram no Brasil. A proposta da data é debater o uso consciente da rede e apresentar soluções para que as pessoas possam navegar com mais tranquilidade.
Afinal, notícias que informam o roubo de identidades digitais de usuários da internet não são raras. 
O Facebook, uma das redes mais usadas no Brasil, tem uma série de recursos que dão mais segurança ao usuário.

1. Prevenção ao assédio

Este é um dos temas mais graves atualmente. Passa não só pelo bullying virtual, mas também por aproximações e comentários inapropriados.
O Facebook lançou novas ferramentas em dezembro passado. A pessoa que se sentir invadida ou ofendida pode bloquear o contato, mesmo quando a pessoa cria uma conta nova e falsa para assediar.
A rede social usa de uma série de recursos para identificar as pessoas que estão atacando. As vítimas podem também informar o Facebook.
No Messenger, é possível ignorar mensagens. Basta remover as notificações de determinado contato, sem precisar bloqueá-lo — em alguns casos, o bloqueio pode causar mais preocupações.
Para ignorar uma conversa, o usuário deve escolher o contato, selecionar a opção Mais e depois Ignorar.

2. Reconhecimento facial

O algoritmo ajuda o usuário na gestão da sua identidade na rede. Dessa forma, fotos que são usadas para golpes ou ataques são percebidas pela rede.
É possível encontrar fotos em que não houve marcação e até detectar perfis que usam a foto do usuário em contas falsas.

3. Remoção de conteúdo ofensivo

O Facebook permite que o usuário seja proativo caso perceba alguma publicação que configure assédio, intimidação ou ofensa. A pessoa pode denunciar esses posts, que serão analisados pelas equipes de segurança.
Quem quiser denunciar um post deve clicar no canto direito superior, onde tem uma seta para baixo, e escolher "Dar Feedback sobre essa Publicação". Descreva, então, qual seria o problema com aquele conteúdo.

4. Portal para pais e mães

O Facebook permite perfis de adolescentes acima de 13 anos. Para que os pais possam se sentir mais seguros com a navegação e o uso que seus filhos fazem da rede, foi criada uma Central de Segurança com dicas e orientações para que a conexão virtual não seja um problema.
Há conteúdo em PDF, que pode ser baixado pelos pais, e recursos de proteção das contas.

5. Central de Prevenção ao Bullying

Dentro da Central de Segurança, foi criado um espaço exclusivo para o debate sobre esse tipo de assédio.
Há dicas para os adolescentes e para quem está sofrendo ou conhece algum amigo que é vítima de ataques. Além disso, o Facebook preparou conteúdo para pais e professores com o objetivo de não só lidar com o problema, mas também de detectar casos.

6. Escolhendo seu público

Sempre que alguém posta algum conteúdo, é possível selecionar quem poderá ver aquela publicação. É a melhor forma de direcionar seu conteúdo e evitar problemas.
Você pode escolher o modo público ou amigos. Além disso, é possível direcionar o post para listas criadas pelo usuário. Assim, você pode organizar os grupos de amigos e não publicar nada que gere atritos.
É importante lembrar que, toda vez que alguém marca um amigo num post, os amigos desse amigo também poderão ver aquele conteúdo.

7. Login e acesso

O Facebook tem um recurso que alerta o dono do perfil quando alguém tenta fazer login a partir de um dispositivo nunca usado antes. Uma mensagem é enviada, até quando é o próprio usuário que faz esse login — nesse caso, basta ignorar o e-mail.
Outra solução de segurança é a autenticação de dois fatores. Sempre que o usuário precisar fazer o login, ele só conseguirá acesso após digitar um código enviado para o número de celular cadastrado na conta.
E para aqueles que costumam esquecer logins e senhas, a rede permite que o usuário selecione de três a cinco amigos de confiança que poderão enviar um código de acesso à conta.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Galaxy S9 vazou de novo... Agora em vídeo oficial que saiu antes da hora


   

No domingo (25), a 
Samsung vai apresentar ao mundo todos os detalhes do seu novo smartphone top de linha: o Galaxy S9 — e o S9+, que é basicamente uma versão maior do modelo de altíssimo desempenho da fabricante coreana. Mas neste ano, basicamente tudo o que se espera do dispositivo já foi vazado, o que inclui design, hardware e possíveis preços.
Mas neste sábado — um dia antes do grande dia — a Samsung deixou escapar também o primeiro vídeo oficial do aparelho. Trata-se de um promo que saiu no canal da própria Samsung — alguém publicou antes da hora?

Você pode conferir o conteúdo logo acima. São cerca de três minutos demonstrando alguns dos principais recursos que veremos nele: design à prova d'água e recurso para tradução de textos por meio da câmera. O que ainda falta sabermos? O que existe de novidade para quem adora fotografia (lembrando que esta é uma das grandes promessas da Samsung para 2018).
Todos os detalhes do novo S9 você confere aqui no TecMundo, amanhã (25) a partir das 13:45 (horário de Brasília).


quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Os aplicativos que mais consomem bateria no Android



Enquanto as fabricantes de smartphones trabalham para melhorar o desempenho e vida útil da bateria de seus aparelhos, muitos aplicativos fazem o trabalho inverso e acabam drenando a bateria do celular ou deixando o sistema mais lento.
A empresa de segurança Avast divulgou nesta quarta-feira, 21, uma pesquisa com os aplicativos que mais fazem mal ao Android, incluindo aqueles que mais travam o sistema, consomem dados ou ocupam espaço na memória. A categoria de apps que mais gastam bateria foi dividida em duas partes: os que rodam em segundo plano e os que foram ativados pelo próprio usuário.
  1. Samsung Allshare
  2. ChatON Voice & Video Chat
  3. Google Play Music
  4. Samsung Push Service
  5. Google TalkBack
  6. Google Maps
  7. Google Play Newsstand
  8. ChatON
  9. Google Plus
  10. Quick Search Box 
Agora, confira os aplicativos que mais gastam bateria nos aparelhos Android quando ativados pelo usuário: 
  1. Samsung WatchON 
  2. Google Docs
  3. Beaming Service for Samsung
  4. SHAREit
  5. Flipboard
  6. Google Text-to-Speech
  7. Clean Master
  8. Super-Bright LED Torch
  9. LINE: Free Calls & Messages
  10. Adobe Acrobat Reader

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Redes sociais te deixam mais sozinho ou trazem amigos?


Redes sociais te deixam mais sozinho ou trazem amigos?


Resultado de imagem para solitario no celular


Uma janela para o mundo que pode te isolar atrás de grades digitais. Um estudo recém-divulgado pela Universidade de Medicina de Pittsburgh, nos Estados Unidos, afirma que quanto mais tempo se gasta nas redes sociais, mais propensas essas pessoas estão a sentir solidão e se isolar socialmente.
Brian Primark, o cientista responsável pela pesquisa, diz que é muito importante estudar esse fenômeno: problemas de saúde mental e isolamento social já atingiram níveis epidêmicos entre os jovens. O estudo ainda constatou que quem usava mídias sociais mais de duas horas por dia tinha o dobro das probabilidades de isolamento social quando comparado aos colegas que passavam menos de meia hora conectado por dia. E, pior, aqueles que entraram em várias plataformas de redes sociais 58 ou mais vezes por semana triplicavam esse risco.
A Paula sabe que exagera! Mas nunca pensou em procurar ajuda. Entre games online e redes sociais, ela chega – muitas vezes – a virar a noite acordada em frente ao computador.
No caso da Paula, já é confuso entender se as redes sociais significam liberdade ou uma verdadeira prisão.
Se por um lado crescem as pesquisas e a preocupação sobre as consequências do uso desenfreado da tecnologia, por outro, a sociedade ainda está aprendendo o que faz bem ou mal nesse mundo digital. Pouca gente procura ajuda, mas muitas já sofrem as consequências dessa falta de controle. Reflita você também: quanto tempo você está perdendo? Como está a qualidade do seu sono? E sua alimentação? Amigos – reais, não virtuais? Nenhuma tecnologia é ruim se ela for usada com moderação; mais do que isso, se ela não atrapalhar a sua vida. Afinal, a proposta é exatamente outra...facilitar. Se não for para ajudar, que não atrapalhe!


domingo, 11 de fevereiro de 2018

Vício em games: quando diversão vira compulsão



Vício em games: quando diversão vira compulsão


A Organização Mundial da Saúde, órgão da ONU responsável pela orientação mundial de políticas públicas de saúde, bateu o martelo. Existe, sim, vício em videogames. Esse tipo de compulsão vai ser classificado oficialmente como uma doença mental ainda em 2018, mas ninguém sabe ainda quando. Isto significa que médicos vão poder diagnosticar o vício em games como uma doença, receitar tratamentos e, dependendo do caso, até medicamentos - tudo com respaldo da OMS.
Mas de onde veio essa ideia de classificar o vício em games como doença? Na verdade, muitos países já tratam essa compulsão como um distúrbio mental há alguns anos. Na Coreia do Sul, por exemplo, uma lei de 2011 proíbe que jovens com menos de 16 anos joguem videogame entre meia-noite e 6 da manhã. Empresas de games no Japão e na China também tomam precauções para evitar que usuários fiquem tempo demais diante das telas, incluindo alertas e sistemas rigorosos de controle. Mas só agora é que essa preocupação vai se tornar norma global.
O vício surge por conta de uma substância no cérebro chamada dopamina. Trata-se de um neurotransmissor responsável por trazer sensação de prazer a uma região do cérebro motivada por recompensa. Toda vez que você faz alguma coisa que te dá prazer, o cérebro libera uma descarga de dopamina. Só que em alguns casos, o cérebro fica obcecado por essas descargas e passa a procurar, cada vez mais, situações que liberem mais e mais dopamina. É isso o que leva a todo tipo de vício, inclusive ao vício em games. Quanto mais tempo jogando, mais dopamina seu cérebro recebe e mais depende do jogo ele fica.
Este jovem de 26 anos procurou a ajuda de uma clínica de reabilitação em São Paulo para combater a compulsão por games. O vício em jogos eletrônicos também o levou a outros problemas, como a dependência química.
O que a maioria dos especialistas concorda é que o vício em games não é uma epidemia. Um estudo realizado recentemente na Noruega com mais de 10 mil pessoas mostrou que menos de 1% deles apresenta um comportamento compatível com o que a OMS considera patológico. Outros estudos em outras partes do mundo indicam números parecidos. Ou seja: nem todo mundo que joga pode ser considerado doente.
A OMS também tem regras bem específicas para determinar o que pode ser considerado vício. Preste atenção: perder o controle sobre a frequência, intensidade e o tempo diante dos jogos; dar prioridade aos games em detrimento de outras atividades do dia a dia;  continuar ou aumentar a frequência com jogos mesmo diante de consequências negativas. 
Nem todo mundo que joga videogame é viciado. Mas vale a pena ficar atento a estes sinais, antes que uma diversão se transforme num caso de saúde.

'Fortnite' vai chegar ao Android nos próximos meses .

O game mais popular do momento ganhou previsão de lançamento no Android. "Fortnite", que conq...